segunda-feira, 23 de setembro de 2013

ArquIdeias: Primavera pede jardim... seja no chão ou não!!!


Para quem mora em um apartamento, ter um jardim parece um sonho distante. Mas com a técnica dos jardins suspensos é possível criar um canteiro com as mais lindas plantas, reciclar materiais e ainda perfumar o seu prédio. Se o apartamento que você mora tiver uma varandinha, melhor ainda.

Alguns cuidados a se tomar na execução do seu jardinzinho:

  • Veja qual é incidência de vento sombra e sol que seu apartamento recebe - Lembre-se que algumas flores e plantas não sobrevivem em certos ambientes. Para reduzir o impacto do vento e do sol, uma boa maneira é plantar palmeiras, bambus ou trepadeiras.
  • Pense na base que suportará seu jardim suspenso - em algumas lojas de construção e jardinagem, você consegue encontrar estantes, e outros suportes próprios.
  • Pensando em sustentabilidade?Crie seu próprio suporte! -  Ele pode ser feito com uma sapateira antiga (dessas que vêm em guarda-roupas comuns), ou até mesmo com algum móvel antigo, paletes , qualquer coisa que você possa aproveitar as madeiras e construir uma prateleira. Os potes plásticos são ideais para montar seu jardim e conservar o meio-ambiente.
  • Confirme se o local que você escolheu é seguro - Acidentes acontecem se você é imprudente. Prefira plantas que se encaixam ao espaço que você tem.
  • Arranjos cultivados em vasos são perfeitos para um jardim de apartamento, pois facilitam o cultivo - Com o passar dos anos, você deve realizar o transplante das espécies para vasos maiores. Isso favorece o crescimento e o desenvolvimento das plantas.
  • Cuidado para não descuidar do seu jardim ou regar água demais. Nas varandas ou sacadas dos prédios, as flores sofrem grande perda de umidade, o que aumenta o consumo de água. No momento da compra da sua plantinha, consulte um especialista, pois cada espécie precisa de uma quantidade diferente de água, luz, sombra e calor.
Os jardins suspensos revitalizam seu apartamento, tanto no sentido estético, como no conforto térmico. Procure um arquiteto paisagista na hora de escolher as espécies que irão compor o seu jardim suspenso.






 

Ambiente da Morar Mais por Menos Curitiba, o terraço de 138 m² recebeu um projeto de paisagismo em estilo mediterrâneo assinado por Eder Matioli: em 50 meios vasos de PVC parafusados direto na parede, o profissional colocou plantas adultas, como petúnias, Vinca Major e Véu de Noiva, em toda a superfície ao redor da porta que dá acesso a um dos quartos da casa.
No ambiente Escritório Verde, projetado pela paisagista Marisa Lima para a Casa Office, o objetivo é criar um espaço de trabalho ao ar livre, já que o contato com a natureza tende a ajudar na criatividade e na inspiração das pessoas. O painel feito de madeira de demolição (canela rosa e canela escura) recebeu exemplares de véu-de-noiva.
Projetado para um casal recém-casado, esta varanda fica em um apartamento térreo no bairro Palermo Viejo, em de Buenos Aires, Argentina. A designer Fabiola Ambrosano pediu para o marceneiro criar uma estrutura de ripas de compensado que foi fixada com parafusos na parede – e serviu de base para a trepadeira, palmeira areca e plantas para temperos (hortelã, manjericão, alecrim etc.).

A melhor parte deste terraço é a vista: uma visão do Duomo de Florença, na Itália, que mereceu um projeto inspirado na Toscana, assinado pelas arquitetas Marcela Schneider Ferreira e Barbara Campanaro. Uma estrutura de paletes recebeu tinta azul e serve de apoio para vasos de plantas – além de virar charmoso jardim, também esconde a unidade condensadora do aparelho split instalada no local.
Ambiente projetado pela arquiteta Leticia Wassali para a mostra Campinas Decor, esta lavanderia tem com primeira preocupação a sustentabilidade: por meio de um sistema de tratamento de águas cinzas, a água da máquina de lavar é tratada e utilizada para regar o jardim vertical que ocupa uma das paredes do espaço. Peperômias, colunéias e ripsális ocupam os vasos pendurados no painel composto de placas de vidro.

Projetado pela paisagista Marizeth Estrela, este jardim vertical fica na varanda de um apartamento em São Paulo: um painel de aço inox fixado na parede por meio de suportes de ferro que abriga vasos verdes e diversas plantas. Entre as espécies utilizadas estão orquídeas, flor de maio, chifre de veado e ripsális – todas que não necessitam de muita manutenção.
Assinado pela paisagista Marizeth Estrela, este jardim fica em uma casa paulistana localizada no bairro do Itaim Bibi. Vasos de fibra de coco estão fixados em um painel de madeira e abrigam ripsalis (na parte esquerda, é de um espécie que cresce para cima; na direita, uma variedade pendente). Seixos de rios e deque de madeira completam o espaço.
Para tornar a parte externa de um estúdio musical, localizada na cidade de São Paulo, mais aconchegante, a paisagista Marizeth Estrela optou por pendurar gerânios de várias cores na parte superior da parede laranja. As flores foram colocadas em vasos de plásticos de cor terracota fixados na parede com bucha e parafuso.


Para criar este jardim na varanda de um apartamento paulistano, a paisagista Ivani Kubo usou bambu-mossô, azaleias brancas, eugenias e mini fícus nos vasos que ficam no chão. O jardim suspenso é feito com vasos fixados nas pedras naturais, e a fonte de cimento da parede na cor terracota é rodeada de cachepôs do mesmo material que abrigam flores-de-maio. O caminho do piso é feito com arenito e pedriscos.
Construído no início da década de 1990, este jardim fica em uma cobertura da cidade do Rio de Janeiro e leva a assinatura da paisagista Ana Toledo. Uma resistente treliça de madeira foi fixada parede e serve de apoio para uma camada de placas de xaxim (na época do projeto, seu uso era permitido e comum), que recebeu espécies de orquídeas, bromélias e cactos.


O proprietário desta casa, localizada em São José dos Pinhais, queria um espaço onde pudesse receber os amigos e tomar seu chimarrão nos dias quentes. Para tornar a área ao lado da churrasqueira mais aconchegante, o paisagista Eder Matioli criou um jardim vertical usando o mesmo material do piso: as placas de madeira itaúba receberam vasos cerâmicos fixados com parafusos repletos de suculentas.
Pedras em cortes irregulares compõem o muro deste projeto assinado pelo paisagista Luiz Lima para a Casa Cor Rio de Janeiro: para aproveitar os espaços entre as pedras, ele “plantou” bromélias e ripsális. Os detalhes verdes na parte inferior são, na verdade, fontes que imitam “bolas flutuantes”, elaboradas com a ajuda de um ceramista e que têm como objetivo dar leveza ao espaço.
Para um apartamento duplex de um engenheiro paulistano, a arquiteta Andrea Balastreire criou um espaço moderno, com tema oriental, pensado para quem recebe os amigos com frequência. O paisagismo conta com palmeira, yuca e chifre de veado – as plantas no painel de madeira foram fixadas como se fossem quadros. Projeto feito em parceria com o paisagista Ricardo Pessuto.
A missão do paisagista Julio Anjos para esta casa de São Paulo era aproveitar o máximo possível uma sobra de terreno da casa. O jardim vertical foi uma solução natural e o profissional optou por ripsális e orquídeas chuva-de-ouro, ambas fixadas em placas de fibra de coco emborrachadas presas à parede. No solo, moreias brancas e bromélias.
Na hora de projetar o jardim da própria casa, o arquiteto Wagner Giongo, de Campos de Júlio (MG), pensou em um espaço que preza pela contemplação: o pergolado protege a área do sol e serve de apoio para a trepadeira, que irá fechar o espaço. Na parede, vasos de fibra de coco foram fixados em treliças de madeira que abrigam orquídeas intercaladas com vasos pendentes de samambaias.
Para deixar o canto deste jardim de uma casa paulistana mais aconchegante, a designer de interiores Cristina Mussi mandou pintar os bancos de madeira com pátina branca e coloriu os vasos com uma cor avermelhada, que realça as paredes verdes. O jardim na parede é composto por quadros de bambu e vasos de fibra de coco, que abrigam aspargos, ripsális e chifre de veado.
Em uma casa de Maricá (RJ), a paisagista Ana Toledo aproveitou filetes de pedra São Tomé que sobraram da obra da própria casa e propôs este projeto aos moradores: um painel artístico que se estende pelo muro do corredor e se avista pela janela da sala. Placas, vasos e cuias de fibra de coco se encaixam em nichos da superfície e abrigam bromélias, orquídeas, cactos etc.

Como o jardim é a porta de entrada desta imponente casa de 1200m², o paisagista Eder Matioli não deixou por menos no projeto de paisagismo: módulos de PVC que suportam vasos foram presos na parede e receberam begônias, tradescantias, marantas, entre outras espécies de plantas, que recebem irrigação por sistema de gotejamento. As petúnias rosas em primeiro plano ajudam a tirar a rigidez da escada de concreto.
O ponto de partida para a churrasqueira desta casa em São Paulo foi a própria arquitetura do imóvel: leve, com estilo clean e moderno. O jardim vertical é composto por uma moldura de madeira com quadriculados de ferro da parede, que recebeu vasos de dinheiro-em-penca. Projeto da arquiteta Andrea Balastreire. Paisagismo de Julio Anjos.
Jardim dos Encontros é nome do espaço projetado pela paisagista Marisa Lima para a Casa Cor São Paulo: um local aconchegante que serve para receber amigos e família. O painel foi feito com módulos de plástico reciclado que se encaixam e formam nichos onde são colocadas as plantas. Marisa optou por aspargos, liriops e filodendro.

Fonte: Casa Abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário